Prémio Internacionalização

Pedro Cudell

PRÉMIO INTERNACIONALIZAÇÃO PEDRO CUDELL

Tendo por base que a promoção do investimento direto por empresas portuguesas em países em desenvolvimento, nomeadamente em África e no âmbito da sua missão a SOFID lança o Prémio Internacionalização Pedro Cudell – Internacionalização com Impacto.

Este Prémio tem como objetivo premiar e divulgar a excelência dos projetos de empresas portuguesas que apostam nos países africanos e impactam com a sua atividade nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. 

Com uma periodicidade anual, o Prémio Pedro Cudell irá eleger uma PME e uma Grande Empresa com os melhores casos de sucesso de internacionalização através de investimento direto num país africano. Adicionalmente o Júri poderá atribuir um Prémio especial para destacar uma empresa ou uma instituição em particular pelo seu contributo para o desígnio nacional do investimento direto do sector privado em África.

O período de candidaturas decorre entre 1 de setembro e 15 de outubro, devendo as empresas interessadas consultar o Regulamento e apresentar a sua candidatura através do preenchimento do formulário.

O Prémio Pedro Cudell será divulgado durante o evento “Financiamento em África – o papel das Instituições Financeiras de Desenvolvimento” a realizar em novembro.

 

Pedro Cudell

Pedro Cudell foi Administrador da SOFID desde a sua fundação até 2019, tendo continuado ligado a esta sociedade como membro do Conselho Estratégico.

Com uma vasta experiência internacional foi, em 2010, o primeiro Presidente do Banco Espírito Santo Cabo Verde. Em 2012, foi um dos fundadores da Câmara de Comércio e Indústria Portugal-Gana à qual presidiu até 2017. Ocupou a vice-presidência da Câmara de Comércio e Indústria Portugal- Costa do Marfim, de que foi igualmente um dos fundadores em 2017. Era membro do Conselho Estratégico da CIP para a Cooperação, Desenvolvimento e Lusofonia Económica desde 2019.

Pedro Cudell acreditava que as empresas portuguesas deviam apostar em África, onde as suas vantagens competitivas eram relevantes. Há mais de uma década, afirmava que África era um mercado de oportunidades com a sua população a crescer e níveis de crescimento económico relevantes. Colocou empresários, diplomatas e políticos em contacto, com o objetivo de internacionalizar o tecido empresarial português.

Este prémio é o nosso tributo ao Colaborador e Amigo.